Release: Quebrando o Silêncio

Combate à violência sexual é ênfase do Quebrando o Silêncio em 2017

Mundialmente, os dados oficiais mais atualizados sobre violência sexual contra mulheres são referentes a 2013. Naquele ano, um relatório da Organização Mundial de Saúde demonstrou que, em média, 35% das mulheres no planeta já experimentou algum tipo de violência física e/ou sexual praticado por alguém íntimo ou não. Entre as mulheres que possuem algum tipo de relacionamento estável, cerca de 30% foram vítimas de algum tipo de violência sexual por parte do próprio parceiro.

Em 2017, o projeto Quebrando o Silêncio enfatiza a violência sexual, especificamente o estupro, como objeto de discussão. O projeto conta com a publicação de uma revista distribuída gratuitamente para milhões de pessoas, em português e espanhol, em que a temática é apresentada sob diferentes ângulos com diferentes especialistas, além de um site atualizado com informações úteis, notícias e materiais de divulgação. Outras ações de conscientização, junto à sociedade, como fóruns, debates públicos, passeatas e sessões em câmaras legislativas costumam ocorrer e se intensificar no mês de agosto.

A coordenadora sul-americana do Quebrando o Silêncio, Marli Peyerl, explica que a intenção da campanha desse ano é alertar, principalmente, mulheres jovens solteiras e mães sobre a relação dos estupros e abusos sexuais na infância com o uso de drogas, os efeitos disso emocionalmente e espiritualmente e como é possível criar meios de proteção no lar. “Nosso trabalho educacional consiste em mobilizar nossa rede de igrejas, escolas e voluntários para ajudar a conscientizar pessoas sobre os riscos enormes que o estupro provoca na vida das pessoas. Sem falar que, evidentemente, trata-se de crime e precisa ser denunciado como tal. Nossa campanha é um permanente alerta para que as pessoas não sufoquem o grito de dor que sentem por conta de algum tipo de abuso sexual”, afirma.

Sobre o Quebrando o Silêncio — O projeto Quebrando o Silêncio existe desde 2002 e é mantido pela Igreja Adventista do Sétimo Dia. Tem o objetivo de ajudar a diminuir a violência doméstica praticada contra mulheres, crianças e idosos. O projeto produz duas revistas informativas (uma voltada aos adultos com artigos e orientações e outra em linguagem infanto-juvenil) e um site (www.quebrandoosilencio.org).

Como denunciar — Por meio do telefone 100, é possível denunciar violência de qualquer tipo. O serviço funciona das 8 às 22 horas, inclusive finais de semana e feriados.
É possível enviar e-mail pelo disquedenuncia@sdh.gov.br

Assessoria de Imprensa Nacional do Quebrando o Silêncio
Felipe Lemos – (61) 98121-1723 – felipe.lemos@adventistas.org.br

  • Eraldo Pardini da Silva

    EU ESTOU MANDANDO MENSAGENS PARA A ASSOCIAÇÃO OESTE PAULISTA JÁ FAZ UNS MESES E NÃO ME RESPONDEM SOMENTE UMA MENSAGEM ELETRONICA , PODERIAM ME RESPONDER POR GENTILEZA OU SERA QUE NÃO EXISTE ALGUÉM COM UMA POSTURA E EDUCAÇÃO ???

  • Eraldo Pardini da Silva

    Eu Peço que Respondam Minhas Messenger do Facebook só isso amém